Diagno Vet Logo Diagno Vet

Buscar

Seg a Sexta das 08 as 18h00. Sábado até 12h00.

67 3356-3991

67 98434-0804

Manoel Inácio de Souza, 1053 - Santa Fé
CEP 79021-190 | Campo Grande MS contato@diagno.vet.br -

Dicas

Plante um jardim sensorial para o seu gato
Para escalar, comer, cheirar, se esconder… os gatos amam plantas! Tanto em ambientes externos quanto internos é possível levar um pouco da natureza para o seu peludo, beneficiando sua saúde física e mental. E não é preciso ser expert em jardinagem, só um cantinho no sol, um regador e alguns vasos pesados (para o gato não derrubar) são suficientes para começar a cultivar o jardim do miau. 

São ótimas para ajudar a digestão e eliminação de bolas de pelos, tanto causando vômito quanto ajudando-as a passar pelo intestino. Elas também complementam a nutrição do gato e são ricas em fibras. A grama faz parte da dieta natural dos felinos, mesmo que muitas vezes indiretamente pelo estômago da presa.

Vasinhos da graminha pronta são vendidos em pet shops e lojas de jardinagem, mas algumas sementes ou milho de pipoca e um vaso com terra costumam dar conta do recado– só espere que cresçam um pouco antes de deixá-las ao alcance do gato. É interessante ter uma “produção” de graminhas constante, já que o gato vai consumi-las rapidamente. E caso elas cresçam demais, pode-as pois as sementes não devem ser consumidas pelo gato.

São as preferidas dos felinos, grandes ou pequenos. O cheiro da catnip (erva dos gatos, Nepeta cataria) e da valeriana (Valeriana officinalis) causam uma sensação de euforia nos gatos, fazendo com que deitem, mastiguem e rolem na planta. Alguns gatos que não reagem à catnip podem reagir à valeriana e vice-versa. 

Essas ervas não viciam e só trazem benefícios tanto para o gato quanto para nós: o chá das folhas de catnip e o chá da raíz de valeriana servem como calmante e sedativo para humanos. As duas são bastante resistentes à variação climática e fáceis de cultivar, só atente para não expor demais o gato a elas, limitando seu acesso para que não acostume demais, o que faz com que percam o efeito.

Se tiver espaço sobrando, você pode complementar o jardim com bambus para o gato se esconder e se aventurar, assim como uma bandeja de grama ou um gramado de verdade para ele deitar na hora de seu banho de sol.

A citronela e o capim-limão também são opções interessantes para se esconder e elas mantêm os insetos longe, mas embora alguns gatos amem seu cheiro forte, outros odeiam e passam longe. O mesmo acontece com a lavanda, alecrim e a menta. Faça o teste para descobrir as preferências do seu miau.

 
Muitos gatos adoram a textura dos cactos para se coçar e a maioria das espécies é relativamente segura, assim como as suculentas. O único perigo é, claro, o gato se ferir nos espinhos, o que pode causar uma infecção. É raro que isso aconteça (gatos não são bobos, oras), mas mesmo assim é interessante supervisionar a interação do peludo com o cacto para evitar ferimentos, além de optar pelas opções com espinhos mais macios e menos lesivos.

 
Muitas plantas podem ser letais para os gatos: lírio, kalanchoe, azaleia, tulipa, babosa, comigo-ninguém-pode, hera, hortênsia, maconha, avelós, copo de leite, fícus, entre muitas outras.

Evite-as a qualquer custo! Mesmo gatos que não têm o habito de mastiga-las podem desenvolver a curiosidade um dia. Caso seu gato ingira qualquer quantidade de uma planta tóxica ou venenosa, leve-o imediatamente ao veterinário.

O maior portal para consulta de plantas tóxicas (toxic) e não-tóxicas (non-toxic) é o site da ASPCA. Por enquanto, ele só tem versão em inglês, mas você pode usar o tradutor do Google (aqui) ou buscar pelo nome científico da planta (consulte-o na Wikipedia, por exemplo).

Fonte: Gatinho Branco 

 

Veja Também